Provando a veracidade bíblica


Neste estudo vamos provar a confiabilidade das escrituras bíblicas dentro dos acontecimentos previstos por ela na história

PROVANDO A VERACIDADE DA BÍBLIA


A bíblia é o livro mais vendido no mundo. Sendo base para diversas religiões é indiscutivelmente o mais amado e ao mesmo tempo o mais criticado.

A bíblia por alguns é considerada como um livro de fábulas. No entanto, descobertas científicas e acontecimentos históricos comprovam a legitimidade de suas escrituras.



FATOS CIENTÍFICOS


Terra suspensa no espaço

Jó 26:7 - "e suspendes a Terra sobre o nada"


⠂Os povos antigos jamais podiam imaginar que o planeta terra estaria de fato suspenso no espaço. Os escritos de Jó tem em média 3.500 anos e apenas no século 20 que a humanidade pôde te a absoluta certeza desta afirmação.


Interior da Terra incandescente

Jó 28:5 - "A terra, de onde procede o pão, em baixo é revolvida como por fogo"

⠂ Há 3.500 anos a bíblia já descrevia corretamente sobre o interior do nosso planeta e até o século 19 esta ideia era absurda.


Ciclo da água

Jó 36:27 e 28 - "Ele atrai as gotas de água, que se dissolvem e descem como chuva para os regatos; as nuvens as despejam em aguaceiros sobre a humanidade."

⠂ Foi apenas no século 18 que os pesquisadores Pierre Perralt e Edmundo Mariotte, através de suas pesquisas conseguiram comprovar o ciclo harmônico da água.


Terra redonda

Isaías 40:22 - "Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar;"

⠂ A ideia de uma Terra esférica ocorreu na filosofia grega no século 6 com Pitágoras. Embora a maioria dos filósofos defendessem o modelo da Terra plana.

O formato da Terra só foi comprovado no século 16 através das navegações. Fernão de Magalhães e Cristóvão Colombo foram os principais navegadores que reafirmaram esta ideia.


PROFECIAS


Avanço da tecnologia

Daniel 12:4 - "muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará."

⠂ Esta passagem do livro de Daniel prediz o avanço da ciência e tecnologia e até prevê a agilidade da locomoção dos homens em suas viagens e deslocamentos.


A morte do Rio Eufrates

Apocalipse 16:12 - " O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande Rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis que vem do oriente"

⠂ O Rio Eufrates sempre foi um imponente e importante rio e jamais se poderia imaginar, ainda mais na época de que ele desaparecesse. Mas as águas do rio estão mesmo secando, como vários jornais, emissoras de tevê e sites do mundo inteiro mostram. Mais uma grande pista de que as profecias estão se cumprindo em ritmo acelerado. Indícios apontam que a qualquer instante pode ocorrer o evento mais esperado de todos os tempos.


O reinado de Ciro

Isaías 45 (Leia na bíblia) - Isaías profetiza sobe o reinado de Ciro ha mais de um século antes de seu nascimento.

⠂ O imperado persa fez de seu império um dos maiores e mais importantes do mundo (558-528 a.C.). Ciro, filho de Cambises e Mandane, segundo a história foi perseguido de morte por seu avô Astiages, que havia sonhado que seu neto se tornaria o rei.

Após Ciro derrota-lo, subjugou o império Lídio, conquistou a Babilônia e capturou todas as cidades gregas da Ásia menor.

Ao mesmo tempo, libertou o povo hebreu que era mantido em cativeiro na Pérsia.

Conforme estava predito na bíblia.


Destruição da cidade de Tiro

Ezequiel 26:3-5 - "Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu estou contra ti, ó Tiro, e farei subir contra ti muitas nações, como o mar faz subir as suas ondas,Elas destruirão os muros de Tiro, e derrubarão as suas torres; e eu lhe varrerei o seu pó, e dela farei uma penha descalvada. No meio do mar virá a ser um enxugadouro das redes; porque eu o falei, diz o Senhor DEUS; e servirá de despojo para as nações."

⠂ A profecia predizia que subiriam muitas nações contra a cidade de Tiro. E a primeira nação a se levantar contra foi a Assíria, que se localizava ao norte e tinha sua capital em Nínive.

Durante dois séculos, os assírios subjugaram Tiro que também foi atacada pelos babilônicos e aos poucos, Tiro começou a se enfraquecer.

O rei Nabucodonosor também esteve envolvido em ataques contra o rei de Tiro por anos.

Finalmente, o rei de Tiro chegou a um acordo e a cidade aceitou se submeter ao rei da Babilônia. mas não seria com a Babilônia sua destruição.

Foi em 332 a.C. que Alexandre e seu exército vitorioso apareceram para confrontar Tiro.

Mais uma vez a cidade tão orgulhosa e arrogante fechou seus portões contra o que parecia um pequeno exército. E o cerco que se seguiu tornou-se um dos maiores feitos militares da história.

Alexandre construiu uma estrutura para cruzar o estreito que separava a cidade continente e foi através desta grande estrategia que Alexandre conseguiu lançar o ataque final que conquistou por fim a cidade de Tiro e assim a profecia de Ezequiel foi cumprida totalmente.

A grande e arrogante cidade de Tiro finalmente foi dizimada e tornou-se ao fim, meramente um local para pescadores secarem as suas redes. Hoje, encontramos apenas ruínas e marcas de uma civilização antiga que um dia foi poderosa e se gabava de ser invencível.


Miqueias prediz o local exato do nascimento de Cristo

Miqueias 5:2 - "E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade."

⠂ Todos sabemos que Jesus nasceu na cidade de Belém. Tal profecia teve seu total e preciso cumprimento com o nascimento do Messias no local predito.


Grandes terremotos

Lucas 21:11 - "E haverá em vários lugares tremores de terra..."

⠂ Relatórios de monitoramentos sísmicos registraram das últimas décadas para cá, grande aumento da trajetória sísmica em todo o planeta e surgimento de tsunamis varrendo cidades.



AS PROFECIAS DE DANIEL

O Livro de Daniel pode ser chamado de o Apocalipse do Antigo Testamento tamanho é o número de revelações sobre os tempos do fim, nenhum outro livro veterotestamentário escreve tanto sobre os tempos finais. É este livro que dá suporte a compreensão de muitas profecias do livro de Apocalipse. A seguir estão seis das grandes profecias de Daniel sobre os reinos da Terra e a vinda do anticristo, assim como o Reino final e eterno de Jesus Cristo.


O SONHO DE NABUCODONOSOR (Daniel 2:1-49)

▸ Leia na bíblia


Entre os judeus cativos capturados em Judá e exilados pela Babilônia havia um jovem cujo nome hebraico era Daniel, renomeado Beltessazar pelos babilônios (Daniel 1:1-7). Daniel viveu nos tempos marcantes da queda de ambos os reinos de Judá e Babilônia. Ele serviu como um alto funcionário, tanto no governo da Babilônia como no Império Medo-Persa, seu sucessor.


As profecias de Daniel fornecem a prova da precisão da Bíblia. Muitas de suas profecias são tão detalhadas e específicas que há muito tempo têm confundido os críticos da Bíblia.

No sonho do rei da Babilônia, Nabucodonosor vê uma grande estátua.

A cabeça da estátua era de ouro, os braços e o peito de prata, o ventre e os quadris de bronze, as pernas de ferro e os pés de ferro e barro. Uma grande pedra é cortada sem auxilio de mãos, esta pedra choca-se com a estátua e a destrói. A pedra transforma-se numa grande montanha que cobre toda a Terra.


Daniel explica ao rei que cada parte da estátua é a representação de um reino, sendo a cabeça de ouro o reino da Babilônia, mas que todos os reinos que se sucederão irão passar e o último reino, o da grande pedra, irá ficar para sempre.


Os reinos do sonho de Nabucodonosor são:


CABEÇA DE OURO: o reino da Babilônia do próprio Nabucodonosor;

PEITO E BRAÇOS DE PRATA: são o reino da Pérsia

VENTRE E QUADRIS DE BRONZE: são o reino Greco-Macedônico fundado por Alexandre Magno;

PERNAS DE FERRO: o reino de ferro é o reino de Roma

PÉS DE FERRO E BARRO: e o último reino representado na estátua é o reino dos tempos do fim, um reino que mescla o poderio romano, porém que não é puro, pois representa a união de diversos reinos.


Porém, o mais importante é que este último reino será destruído por Jesus, que criará um reino justo e eterno e que jamais poderá ser destruído.


O 1º império - a cabeça de ouro

O profeta Daniel revelou que o primeiro desses reinos era o império babilônico (Daniel 2:37-38). O ouro representa grande valor. Debaixo de Nabucodonosor, esse império tinha se tornado muito forte, unido e glorioso. Os outros impérios não teriam o mesmo esplendor.

Veja a história do reinado de Nabucodonosor 


O 2º império - o peito de prata

Depois do império babilônico viria um império que seria um pouco inferior, representado pela prata (Daniel 2:39). Esse reino provavelmente era o império persa, que conquistou o império babilônico ainda durante a vida de Daniel.

O império persa surgiu da união entre dois povos: os medos e os persas. Mas os persas se tornaram mais fortes. Daniel teve algumas outras profecias que confirmam que o império persa era a segunda parte da estátua (Daniel 8:19-20).

Veja aqui a história da invasão Persa 


O 3º império - o tronco de bronze

O terceiro império seria de bronze, um material inferior à prata, mas dominaria sobre todo o mundo conhecido. Esse foi o império grego, de Alexandre o Grande. Daniel teve outros sonhos que falam sobre o império do rei da Grécia (Daniel 8:21).

Alexandre o Grande foi rei sobre toda a Grécia e uniu os gregos para conquistar um vasto império. Ele destruiu o império persa e fez muitas conquistas, chegando até à fronteira da Índia! Mas, depois que morreu, seu império ruiu e ficou dividido em vários reinos.


Veja aqui a história do domínio Grego 


O 4º império - as pernas de ferro

O quarto reino seria muito forte, como o ferro, e faria muita destruição. Mas os pés seriam de ferro misturado com barro, porque também teria fraquezas e teria divisões. Esse império também iria tentar fazer alianças com outros povos mas não criaria união (Daniel 2:40-43).

O império romano ficou conhecido por sua brutalidade ao conquistar outros povos. Nada podia resistir à força do exército romano! Mas, quanto mais se expandia, ficava com mais problemas e mais divisões internas. Essas divisões começaram desde cedo. Já no fim de seu tempo, o império romano estava muito fragmentado. O império romano é o quarto império da estátua de Nabucodonosor.


Veja aqui a história do domínio Romano 


O 5º império - a pedra

A pedra claramente significa Jesus e seu reino. O poder de Jesus destrói tudo que vem antes e seu reinado nunca acabará (Daniel 2:44). No entanto, existem algumas interpretações diferentes sobre o significado desse reino no sonho de Nabucodonosor:


⠂ A primeira vinda de Jesus

Se os pés da estátua de Nabucodonosor representam ainda o império romano, a chegada da pedra provavelmente significa a primeira vinda de Jesus ao mundo. Quando morreu e ressuscitou, Jesus trouxe a salvação ao mundo e nos deu acesso ao Reino de Deus. Quando Jesus voltar, o Reino de Deus dominará sobre tudo mas, por enquanto, esse reino existe nos corações de todos que crêem em Jesus. À medida que mais pessoas conhecem Jesus, o Reino se torna maior e está enchendo a terra.

Assim, a pedra pode representar a expansão do evangelho, que é mais poderosa que qualquer império físico e humano. Nenhum poder consegue resistir perante o poder de Jesus.

No entanto, essa teoria tem um problema: o império romano não ruiu logo que Jesus veio. O império já sofria com divisões e alianças forçadas mas ainda subsistiu mais alguns séculos.


⠂ A segunda vinda de Jesus

Outra teoria sugere que a pedra representa a segunda vinda de Jesus, no fim dos tempos. Quando ele voltar, Jesus vai instaurar um reino eterno, restabelecendo a justiça e o bem sobre tudo que existe. Todo poder do passado será destruído e somente Jesus reinará como soberano.

Segundo essa teoria, os pés de ferro e barro representam os países europeus que surgiram da queda do império romano. Esses países ainda representam o poder do império romano no mundo. O poder romano será totalmente destruído somente com a volta de Jesus.

O problema dessa teoria é que ignora todos os outros impérios que surgiram depois do império romano. Todos os impérios da estátua de Nabucodonosor tiveram influência direta sobre o território de Israel. Sendo assim, seria estranho deixar de fora, por exemplo, o império otomano, que não surgiu do império romano e que dominou Israel por séculos.

Nenhuma teoria é perfeita e é difícil afirmar com certeza qual é a interpretação certa. Mas o mais importante desse sonho é que o poder de Jesus é maior que todo poder na terra.




A VISÃO DOS QUATRO ANIMAIS E O ANCIÃO DE DEUS

Daniel escreve sobre seu sonho onde viu 4 animais que saíam do mar.


O primeiro era um leão com asas de águia, porém lhe foram arrancadas às asas e ele foi colocado de pé e lhe foi dado mente de homem. É uma referência a Nabucodonosor que perdeu o reino, ficou louco e teve que se humilhar e reconhecer sua fraqueza.

O segundo animal era um urso que tinha 3 costelas na boca, lhe foi ordenado que saísse a comer carne. As três costelas representam uma presa que o Urso já havia devorado anteriormente, mas que não saciou seu apetite. É a representação do reino Medo-Pérsa.

O terceiro animal era semelhante a um leopardo com 4 cabeças e 4 asas a este foi dado domínio. Ter 4 cabeças significa que este animal estava olhando em todas as direções a procura de novas caças, o que sugere um império em constante busca por expansão territorial. É o reino Greco-Macedônico formado por Alexandre Magno e que depois foi dividido por seus 4 generais.

O quarto animal era terrível e muito forte, tinha 10 chifres, pisava e devorava a todos o que sobejava. Seria o Império de Roma. Com a queda de Roma, outro reino toma seu lugar, o reino dos 10. Os chifres representam 10 reinos e podem representar seu grande poderio militar. O chifre que ao surgir derruba três outros chifre, tem olhos e boca de homem, sugere o reino do anticristo.


Até que entra em cena o Ancião de dias que se assenta num tribunal, mata ao animal dos chifres e retira o poder dos outros animais, porém lhe conservando as vidas.

Aproximou-se do Ancião um como o Filho do Homem, que recebeu o domínio, e a glória, e o reino sobre todas as nações, o seu domínio é eterno e não poderá ser destruído. Este é o reino de Jesus Cristo que será eterno.


O carneiro, o bode e o pequeno chifre

Daniel 8:1-27


Nesta profecia, Daniel tem uma visão de um carneiro com dois chifres, porém um é maior do que o outro. O carneiro dava marradas para o Ocidente, para o Norte e para o Sul e nenhum animal o podia resistir. Então Daniel vê um bode que vem do Ocidente, o bode tinha um grande chifre entre os olhos.

Ao chegar perto do carneiro, o bode quebrou os dois chifres do carneiro e o venceu. O bode engrandeceu-se sobremaneira e ninguém o podia vencer, mas quebrou-se o seu chifre, e em seu lugar nasceram outros quatro chifres, de um destes chifres nasceu um pequeno chifre que cresceu até chegar ao exército dos céus, teve o domínio sobre os exércitos e tudo que fez prosperou. Engrandeceu-se até ao "príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo". (v. 11).

Daniel ouve uma conversa entre santos que perguntam até quando durará toda aquela profanação. "Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado" (v. 14) é a resposta.

Então, Gabriel é enviado a Daniel para explicar-lhe a visão que tinha visto.


O carneiro com 2 chifres é o reino da Medo-Pérsia e o bode é o rei da Grécia e o chifre entre os olhos é o primeiro rei,ou seja, Alexandre Magno. O grande chifre é destruído prematuramente, Alexandre morre aos 33 anos tendo construído um grande império e reinado por somente por 11 anos. Nascem 4 chifres em seu lugar, o reino de Alexandre foi dividido entre seus 4 generais. Mas se levantará um rei feroz muito poderoso, causará muitas destruições,destruirá os poderosos e o povo santo, fará prosperar o engano, mas este rei será destruído sem uso de força humana.


Alguns comentaristas afirmam que o rei em questão era Antíoco IV, que em seu reino agiu desta forma, mas creio que seja uma profecia com relação ao reino do anticristo. O anticristo será vencido sem que haja necessidade de força humana, pois Deus irá vencer o anticristo na batalha do Armagedom.



As setenta semanas

Daniel 9:20-27

A profecia das 70 semanas é revelada a Daniel por Gabriel. Gabriel, enviado de Deus, relada a Daniel que as 70 semanas representam o tempo até que a transgressão e o pecado cessarão, para selar a vitória e a profecia e para ungir o santo dos santos.

Desde a saída da ordem para restaurar e edificar Jerusalém até o Ungido, Jesus Cristo, serão 7 semanas e 62 semanas. O Ungido será morto após as 62 semanas.

Ou seja, o tempo do cativeiro irá durar 7 semanas (um dia da semana contando como um ano,portanto o cativeiro durará 70 anos, como de fato ocorreu). Haverá a reconstrução de Jerusalém e após 62 semanas nascerá o Ungido, Jesus Cristo, totalizando 69 semanas. A crucificação e a ressurreição de Jesus cessaram a contagem das semanas, criando um hiato de tempo, o tempo da Igreja. A última semana ocorrerá após o arrebatamento da Igreja. Com o governo do anticristo que durará 7 anos. Na metade da semana irá cessar os sacrifícios no Templo, o que sugere a reconstrução do templo em Jerusalém e a retomada dos sacrifícios. Após as 70 semanas Deus vencerá o anticristo e julgará a humanidade. Iniciando-se o Reino Milenar de Cristo.


Os reis do Norte e do Sul

Daniel 11:1-45


Dividi a análise em duas partes:


Primeira Parte: Versículos 1-20

O versículo 2 relata o reino da Pérsia e sua luta contra a Grécia. A partir do versículo 3, é relatado o reino da Grécia, iniciando com o reino de Alexandre Magno e depois com os 4 reis que assumem seu lugar e dividem o império (vv. 3 e 4). Depois é descrito o reino do Sul, que ao que parece é o Egito (v. 8), que luta contra o reino do Norte, provavelmente Roma ou Síria. Após, Daniel relata batalhas entre estes reinos do Norte e do Sul, onde o Norte vencerá, o que me faz acreditar que o Reino do Norte é Roma e não a Síria.


Segunda Parte: Versículos 21-45

A partir do versículo 21 é descrito um rei vil, que tomará o trono através de intrigas, ele fará alianças com outros reinos e governará pelo engano. Este rei atacará e subjugará os reinos do Sul. "Dele sairão forças que profanarão o santuário, a fortaleza nossa, e tirarão o sacrifício diário, estabelecendo a abominação desoladora. Aos violadores da aliança, ele, com lisonjas, perverterá, mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e ativo. Os sábios entre o povo ensinarão a muitos; todavia, cairão pela espada e pelo fogo, pelo cativeiro e pelo roubo, por algum tempo." (vv. 31-33). Este, ao que parece, é o reino de Antíoco IV, como ocorrera no capítulo 8, mas creio que seja uma alusão ao reino do anticristo. A descrição dada ao vil e corrupto rei é compatível com o reino do anticristo, que perseguirá ao remanescente do povo de Deus e profanará o Templo.



O Tempo do fim

Daniel 12:1-13


Daniel escreve sobre os tempos do fim.

Na profecia, Miguel, o grande príncipe, se levantará. Haverá angústia como nunca antes, mas naquele tempo serão salvos todos que estão escritos no Livro da Vida. Os que já morreram ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para a condenação.

Deus diz a Daniel que o livro deve ser encerrado e selado, e que no futuro o livro será estudado e esquadrinhado e o conhecimento se multiplicará. Mas o tempo que a profecia se realizará fica em mistério. "Quando se acabar a destruição do poder do povo santo, estas cousas todas se cumprirão." (12:7b).

Muitos serão purificados, embranquecidos e provados; mas os perversos procederão perversamente, e nenhum deles entenderá, mas os sábios entenderão." (12:10).


______________________________


Conclusão

O livro de Daniel é uma grande demonstração da soberania de Deus e de Seu controle total e absoluto sobre a História da humanidade. Nada acontece sem a permissão e o conhecimento de Deus. Ao revelar os reinos seqüentes aos da época de Daniel, Deus está nos dando uma confirmação de que Suas profecias serão cumpridas. Uma vez crendo e entendendo o livro de Daniel, podemos ter certeza de que as predições do livro de Apocalipse se cumprirão, assim como toda a Palavra do Senhor, pois Deus nos diz: "Porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir." (Jeremias 1:12). Nada escapa ao controle soberano de Deus.