A vaidade é pecado?


O que é vaidade? O que a Bíblia nos diz sobre? Ela é pecado de fato?



A vaidade é pecado?







O que é verdadeira vaidade a luz das escrituras?

Antes de vermos o que as escrituras nos diz sobre vaidade, devemos conhecer o significado do termo "vaidade" em nosso português, segundo o dicionário Michaelis vaidade significa:

VAIDADE

Substantivo feminino

1. qualidade do que é vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória.

2. valorização que se atribui à própria aparência, ou quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam reconhecidas ou admiradas pelos outros.


As escrituras em seus manuscritos originais são divididas em duas linguagens; hebraico (Velho Testamento) e o grego (Novo Testamento). Nós devemos analisar o significado de vaidade em ambas para podermos fazer uma hermenêutica mais precisa, para vermos qual é o real significado que esse vocábulo (Vaidade) possuía nos tempos antigos.


Vaidade no Antigo Testamento (hebraico)

No hebraico vaidade advém de duas palavras. "habel" e "shav", que significa vazio e oco. Quando utilizada no Antigo Testamento estava relacionado ao abandono do único DEUS verdadeiro e à busca de ídolos que não podiam satisfazer às necessidade de Israel pelo simples fato de não existirem. A adoração à ídolos, então, tornou-se sinônimo de vaidade, pois era como se o povo israelita estivesse buscando ajuda no vazio.

"E rejeitaram os seus estatutos, e a sua aliança que fizera com seus pais, como também as suas advertências, com que protestaram contra eles; e seguiram a vaidade, e tornaram-se vãos; como também seguiram as nações, que estavam ao redor deles, das quais o SENHOR lhes tinha ordenado que não as imitassem." 2 Reis 17:15


O termo "vaidade" também pode significar em hebraico o sopro de vida na enfermidade, algo vazio ou sem vida:

Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Selá.)" - Salmos 39:5


Em Eclesiastes Salomão também utiliza o vocábulo "hă-ḇêl" "hă-ḇā-lîm" como vaidade no sentido de algo vazio e oco:

"Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades. Tudo é vaidade." Eclesiastes 1:2


Salomão utiliza muito o termo "vaidade" no sentido de que tudo é vão, finito, passageiro e que não vamos levar nada dessa vida. Por isso ele afirma "tudo é vaidade".




Vaidade no Novo Testamento (Grego)

No grego, vaidade é representada pelo substantivo "mataiotes" e também significa vazio. Não há qualquer relação entre vaidade e o cuidado com sua aparência física (cuidado com a beleza). Seu significado, em primeiro lugar, refere-se ao mundo criado que, no pecado e sem preencher o propósito inicial para qual foi criado, tornou-se vazio.

"Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou" - Romanos 8:20



O substantivo "mataiotes" aparece nas palavras de Paulo para expor a forma de pensar e o estilo de vida dos gentios que não agradam a Deus:

E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente." - Efésios 4:17 



O termo "mataiotes", também podia denotar as palavras impressionantes, mas vazia, de falsos mestres que muito falam, mas não possuem conteúdo nenhum:

"Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro," 2 Pedro 2:18




Em nossos dias nós vemos surgindo muitos dogmas e doutrinas humanas inventadas por homens e mulheres que usam o vocábulo "vaidade" para impor suas regras da igreja; eles utilizam desse subterfúgio como pretexto para expor o seu preconceito e intolerância com pessoas que gostam de vestir-se bem, se arrumar, pentear o cabelo, e cuidar da beleza de forma geral. Eles acusam tais pessoas dizendo "Vocês estão em pecado, isso é vaidade" e utilizam como base bíblica para sustentar tal acusação o seguinte versículo:

Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente." Salmos 24:3-4


Essas pessoas chegam ao absurdo de dizer com base nessa passagem de que se a pessoa supostamente estiver em pecado de "vaidade", pode até chegar a não ir pro céu por conta deste suposto pecado. Se nós analisarmos o texto no original, tais afirmações se tornaram absurdas. Observe o que o texto realmente nos ensina:

"... que não entrega a sua alma à vaidade..." Vaidade no hebraico "habel" e "shav" significa: falsidade; vazio de fala, mentira; inutilidade.


Segundo a perspectiva do apóstolo Paulo o termo "vaidade" não aparece representando a aparência exterior de determinada pessoa pelo contrário o termo sempre aparece nos indicando o interior das pessoas (Imago Dei) e não sua aparência.

Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados." Tito 1:15


E de acordo com a cosmovisão de Paulo as coisas mais importantes são aquelas que não vêem, pois tudo o que os nossos olhos contemplam um dia passará. Sendo assim, para o apóstolo o que é finito deveria ser considerado vaidade:

Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem são temporais, e as que se não se vêem" - 2 Coríntios 4:8



Algumas pessoas julgam segundo a aparência dizendo que isso ou aquilo não é bom, então essas pessoas criam certos dogmas e doutrinas sem base bíblica nenhuma. Quando nós estamos julgando nossos irmãos por causa da sua postura exterior (Aparência), nós julgamos mal e não pela reta justiça e acabamos condenando a nós mesmos (Rm 2.1-3).

Ninguém é capaz de conhecer o coração do homem, uma pessoa pode aparentar ser íntegra, mas seu coração pode estar distante de Deus. Você pode julgar e excluir uma pessoa pelo seu porte e aparência exterior, mas a mesma pessoa que foi excluída pode estar sendo plenamente aceita por Deus.

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" Jeremias 17:9

Julgar segundo a aparência quais vestimentas são ou não "vaidosas" leva-nos a um nível de legalismo sufocante e pecaminoso. O líder deve se preocupar com as vestes sensuais e que venham desonrar a quem usa, mas julgar alguém e dizer que é mundano pelos adornos (obviamente não exagerados ou que façam apologia ao sensualismo ou idolatria) , caímos da graça do Senhor.

"Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do seu irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora se julgas a lei, não és observador da lei, mas Juiz. Um só é Legislador e juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porém, quem é, que julga ao próximo?" (Tg 4.11-12; Cl 2.16, 18).



A maioria massante utiliza vanglória como vaidade nos seguintes textos:

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo." Filipenses 2:3

"Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros." Gálatas 5:26


Nos textos supracitados nós vemos que vaidade é usada no sentido de vazio, inutilidade e falta de consistência. Todas as vezes que buscarmos nossa identidade no que for irreal, estamos sendo vaidosos (adoração de outros deuses, falsa adoração dos fariseus, egocentrismo do homem, ao exagero e desmedido desejo da carne e dos olhos). 

A Bíblia não condena e também não nos permite condenar usos e costumes com exceção de roupas que estimulam a lascívia e a sensualidade. Muitos usam o termo "vaidade" como pretexto para proibir aquilo que a Bíblia não proíbe, excluindo pessoas e fazendo acepção e em conseguinte causando discórdias, contendas entre os irmãos; Uma roupa social e uma Bíblia em baixo do braço não nos torna superior aos outros, todos nós somos pecadores e igualmente carecemos da graça e misericórdia de Deus em nossas vidas.


A VAIDADE MÁ - SOBERBA E OSTENTAÇÃO

Fala-se com certa freqüência que "dinheiro não trás felicidade. É melhor ser pobre feliz, do que rico infeliz". Há quem diga que ambas as frases são apenas desabafo de pobre, e o que todos gostariam mesmo é de ter dinheiro.

No outro extremo estão os que dizem: "Dinheiro não trás felicidade; é a própria". Em tudo isso há um pouco de verdade e muito exagero. Até hoje, conheci bem poucas pessoas que realmente não gostariam de serem ricas.

Até pregadores, com exceção de Jesus e os doze enviados, e com raríssimas exceções, correm atrás do dinheiro, como se fosse a coisa mais importante da vida .

"Não ajuntar tesouros na terra, não levar bolsa nem alforje, nem duas túnicas," são apenas temas para belos sermões, porém, aplica-se aos ouvintes, mas poucos a si mesmos.

É verdade que a própria Bíblia aconselha a diligência e a fazer provisões quanto ao futuro. Dá-nos o exemplo da formiga que ajunta no verão para que não sofra no inverno. Assim, é sábio e prudente, enquanto há juventude e vigor, ajuntar para a velhice.

Mas não podemos perder de vista que são bens e prazeres pouco duradouros; alguns destes bens têm até acrescentado muitas dores em vez de felicidade. Não há bem melhor a se deixar aos filhos, por exemplo, do que uma boa educação, uma família bem estruturada, e, sobretudo, transmitir a fé no Deus Eterno e em Seu Filho Jesus.

O próprio pregador explica porque "tudo é vaidade"; ao concluir seu livro dizendo que por fim, "o pó volta ao pó como era, e o espírito volta a Deus que o deu" (Ec 12:7)

Jactância, cobiça, soberba, orgulho, é o pior e mais prejudicial tipo de vaidade (II Pe 2:18).

Vaidade espiritual também é muito prejudicial, tipo, ando assim, me porto assim, para ostentar que sou "santa", melhor que os demais, Jesus chamou isso de hipocrisia, sepulcros caiados, etc etc...mas as outras vaidades também são prejudiciais e a pessoa acaba mostrando que não alcançou a plenitude da graça de Cristo, que trás consigo a temperança, moderação, espírito brando; frutos do Espírito.

Este é o fim de todos os viventes; triste fim para alguns. Quer sejam ricos ou pobres, cultos ou ignorantes, dependem do Todo-Poderoso para viver novamente através de uma ressurreição.

Salomão podia falar de "cadeira". Foi rei em Israel, cujo trono era de marfim e ouro puríssimo; possuía 1.400 carros, e 1.200 cavalarianos; reinou 40 anos; e entre esposas e concubinas, eram 1.000. O mais sábio dentre os homens mortais.


A VAIDADE BOA - MANUTENÇÃO E BELEZA

Costumo dizer que a vaidade é como colesterol, tem o bom e o ruim.


A vaidade boa é arrumar o cabelo, pentear a seu gosto, combinando com a forma do rosto, é cuidar da pele e do corpo, unhas, pés, mãos, sem exagero, apenas limpando e conservando aquilo que Deus nos deu, ou até melhorando alguma imperfeição herdada geneticamente dos pais, que não veio de Deus, mas de uma genética imperfeita.

Assim, até a peruca, se a mulher perdeu os cabelos não é errada, como não são óculos e dentaduras. Não há nada de errado em melhorar a formosura do rosto com algum tipo de creme que protege e embeleza a pele.

E não podemos deixar de lado os cuidados com o nosso corpo por meio da alimentação e atividades físicas regulares. Mas sem exageros e paranóias.

Mas se a mulher [o homem também] usa a peruca, ou tinge os cabelos, ou faz outras mudanças porque não aprecia o que Deus lhe deu, algo vai mal em seu interior. Há um desarranjo espiritual.

Todo exagero, excesso, no uso de pinturas, jóias, adereços e roupas, que chama a atenção para si, que muda a aparência, que a distancia do grupo ao qual pertence, é a vaidade prejudicial.




A vaidade normal, sem os exageros, só faz bem. Até os animais são vaidosos em suas conquistas amorosas, e nos seus relacionamentos, e aquele enorme leque colorido do pavão, ou a juba do leão, o canto de algumas aves, foram dados por Deus, que exibem gostosamente quando querem "namorar".

É a vaidade que faz com que cuidemos de nossa aparência, tão importante no dia a dia, e necessária, dependendo do meio de atuação da pessoa. Dá para a mulher se vestir bem e elegantemente, usar discreta maquiagem, cuidar do cabelo, sem sair dos padrões cristãos, sem parecer uma pessoa alienada e desleixada.