Os sacerdotes violavam o sábado?


Jesus teria afirmado que até os sacerdotes violavam o sábado com o propósito de mostrar que tal mandamento já não era tão importante?


OS SACERDOTES VIOLAVAM O SÁBADO?


Teriam os próprios sacerdotes de Deus profanado o mandamento do sábado como exemplo de sua inutilidade?

"Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?" - Mateus 12:5 

Os adversários de Cristo estavam afirmando que Ele e seus discípulos profanavam o sábado engajando-se em alguma forma de trabalho nesse dia. Ele lembrou-lhes que os sacerdotes também "trabalhavam"; executavam serviços religiosos em prol da espiritualidade no sábado, e ficavam sem culpa; ou seja, não era imputado tal serviço como transgressão. Todos concordam que o que os sacerdotes faziam no sábado, em harmonia com a lei, era lícito, embora os sacerdotes a cada sábado se ocupassem no trabalho de imolar, oferecer sacrifícios e demais oblações.

Pois parece contraditório, mas o dia em que os sacerdotes mais "trabalhavam" era no dia do sábado.


Para deixar a explicação mais clara vamos trazer o texto de João 7:23-24:

"Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça." - João 7:23,24


O uso por Cristo da palavra "profanar" deve ser compreendido no contexto da controvérsia.

O propósito dessa argumentação de Cristo mediante a acusação de ser transgressor do sábado ao realizar curas é:

✳ "se minhas ações de milagres vocês acusam de violação do sábado, os serviços religiosos do templo que vocês tanto praticam para perdão de seus pecados no sábado também são"


Porém, afirmar que Cristo realmente quis dizer que os sacerdotes, cujas ações de sacrificar no sábado, em ato de harmonia com a lei, na verdade, era profanação ao santo dia, nos leva a uma conclusão divergente com a própria palavra do Eterno.

Para alicerçarmos mais esta explicação vamos para a análise gramatical grega do texto original de Mateus 12:5


Como está na versão Almeida

"Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?" - Mateus 12:5


Forma original do texto bíblico

"ἢ οὐκ ἀνέγνωτε ἐν τῷ νόμῳ ὅτι τοῖς σάββασιν οἱ ἱερεῖς ἐν τῷ ἱερῷ τὸ σάββατον βεβηλοῦσιν καὶ ἀναίτιοί εἰσιν "

(ē ouk anegnôte en tõ nomõ hoti tois sabbasin hoi hiereis en tõ hierõ to sabbaton bebelousin kai anaitioi eisin)

➟ Note que está grifada a palavra ἀνέγνωτε (anegnôte) , que tem como significados: reconhecer, discernir, ler, saber, ter certeza - ref. G314


Tradução fiel ao escrito original

"ou não distinguem pela lei que nos sábados, os sacerdotes no templo violam os sábados e estão inocentes?"


Comparando as diferenças

  • "...ou não leram na lei que..."

  • "... ou não distinguem pela lei que..."


No campo do compreendimento a troca destas palavras fazem muita diferença.

Claramente perante este texto notamos que a intensão de Cristo era de alertar de que existem exceções na lei e que dentro dessas exceções todos são inocentes.



VAMOS ANALISAR UM EXEMPLO DE TAIS EXCEÇÕES

O oitavo mandamento por exemplo; diz: "Não furtarás". Trata-se de um mandamento inquestionavelmente moral. Mas é possível que aquilo que o homem pudesse considerar uma violação desse mandamento.

Moisés foi instruído a dizer ao povo que, se uma pessoa passasse pela seara de alguém, podia satisfazer sua fome comendo até se fartar, embora não pudesse carregar nada (Deuteronômio 23:24-25). Se uma pessoa faminta comesse as uvas de seu próximo, violaria a lei contra o furto? Não. Por que? Porque o Deus que deu a lei declarou que tal atitude estava em harmonia com a lei.

O mesmo é verdade quanto ao mandamento do sábado. Nem Cristo nem os sacerdotes violaram ou anularam o mandamento sabático, porque o mesmo Deus que deu o mandamento também declarou que o serviço dos sacerdotes e a obra de Cristo eram "lícitos" nesse dia.

Os fariseus pregavam a forma "dolorosa" de guardar os mandamentos de Deus. A vontade de Deus pelo amor e caridade, dando mais valor do que aos sacrifícios (holocaustos), ecoa em todos os livros da Escritura Sagrada.

Cristo deu o exemplo de Davi que para não morrer de fome, comeu dos pães da proposição que eram permitidos apenas aos sacerdotes comerem. Porém eram apenas formalidades religiosas que não transgrediam uma lei moral. - Mateus 12:3-4

E em seguida faz Seu apelo de que Deus requer misericórdia e não se agrada de sacrifícios e sofrimentos desnecessários que condenavam pessoas inocentes acusadas de transgressores, mas que de fato não eram. - Mateus 12:7

☛ O proibido no dia santo era o trabalho e não a prática do bem (Ex 20: 8-11).

Ao analisarmos em Êxodo 20:8-11 o tipo de atividade proibida no shabat (sábado), em Êxodo 20:8-11, encontraremos a palavra hebraica "מְלָאכָה (mĕla'kah)" a qual significa trabalho laboral, profissional, lucrativo, servil.



MAIS UMA IRREFUTÁVEL PROVA BÍBLICA DE QUE OS SACERDOTES NÃO FICAVAM SEM CULPA SE REALMENTE TRANSGREDISSEM O SÁBADO ESTÁ NO LIVRO DE EZEQUIEL 22, ONDE DEUS ACUSA SEU POVO, INCLUSIVE SEUS SACERDOTES DE PROFANAREM O DIA SANTO E DERRAMA SUA IRA SOBRE ELES.

Faça os downloads do estudo