Por que o mandamento do sábado não foi reordenado?


Para um mandamento ser válido na nova aliança há necessidade dele ter sido reordenado por Cristo ou pelos apóstolos no Novo Testamento??

POR QUE O SÁBADO NÃO FOI REORDENADO?


Nem Jesus nem os Seus apóstolos repetiram o preceito do sábado é verdade. Mas sabem por quê? É que NÃO PRECISAVA, já que todos o acatavam o mandamento por muitas vezes de forma até fanática. Então o problema que Cristo teve que corrigir ao que tange este mandamento não foi pela transgressão e sim pela forma farisaica e fanática de guarda-lo.

Será que quando Cristo morreu na cruz, foi mudada a natureza moral de Deus? É um sacrilégio fazer tal pergunta.

Deixando um pouco o mandamento do sábado de lado, fica ainda mais ilógica a idéia de que outros preceitos tão morais também como o de "não matar" ou "não adulterar" foram abolidos na cruz e depois tiveram que ser restabelecidos novamente.

Enquanto Deus for de natureza imutável (Tiago 1:17), os princípios morais que irradiam de Sua natureza, permanecem imutáveis. Enquanto a natureza de Deus abominar a mentira, o furto, o homicídio, o adultério e etc, tais atos serão abomináveis e a morte de Cristo jamais mudaria isso.

Por exemplo, se perguntarmos a um irmão se ele crê que é correto matar, furtar, mentir, visto que o decálogo está abolido, ele responde que não, e nos informa que o novo testamento restabeleceu leis contra isso. Então ele provavelmente citará Romanos 13:9, onde se encontra proibição explícita desses crimes. Mas existe concordância geral que Paulo escreveu a carta aos Romanos por volta do ano 58 d.C. O que dizer do tempo transcorrido entre esse ano e o da crucificação? Era permitido até então cometer tal prática?

Outro problema para quem defende a necessidade do restabelecimento é na questão dos diversos mandamentos dados por Cristo e outros que tiveram seu compreendimento ampliado; por exemplo no "Sermão da Montanha" em Mateus 5. Ou quando ensinou que é lícito fazer o bem no sábado é entre tantos outros ensinos; foram dados por Ele antes de ser sacrificado, ou seja, antes da instauração da Nova Aliança.

E já que a cruz trava essa linha divisória entre o "antigo e novo testamento" é a anulação de todos os mandamentos dados anteriormente á crucificação, então cairemos em um grande problema pois vários mandamentos de Cristo não foram repetidos pelos apóstolos.

Esse entendimento de que não há mandamento para guardar o sábado no NT é mais um sofisma tolo e sem lógica. Se os mandamentos da lei divina para valerem para os cristãos têm que ser "revalidados" no Novo Testamento, após a abolição total do Decálogo, (menos o 4º preceito) vejam só o que poderia ter acontecido:

O 5º mandamento por exemplo, foi de embrulho com todos os demais regulamentos morais e cerimoniais quando Jesus exalou o último suspiro e declarou, "Está consumado". Daí, no minuto seguinte qualquer filho de um seguidor de Cristo poderia amaldiçoar ou fazer mal ao seu pai ou mãe, xingá-los, desobedecê-los e desrespeitá-los livremente, eis que o 5° mandamento só foi "restaurado" quando Paulo se lembrou de referi-lo, escrevendo aos efésios, e isso no ano 58 DC (ver Efés. 6:1-3). E, pior ainda, os termos do mandamento "não matarás" só foram reiterados por Paulo em Romanos 13:9, no ano 56 ou 58 AD (bem como "não adulterarás", "não furtarás", "não cobiçarás". . .)

Ou seja, por quase 30 anos os filhos dos cristãos não tinham que respeitar os pais? Pois o 5º mandamento só é restaurado após umas três décadas, e mesmo assim só para os efésios.

Muitas décadas mais se passaram até atingir toda a comunidade cristã para cientificar-se da necessidade de os filhos respeitarem seus pais. Além de os cristãos poderem matar uns aos outros, roubar uns dos outros, etc., nesse mesmo período "sem a lei". . . Faz sentido isso tudo?

Algumas pessoas crêem que, uma vez que o Mandamento do Sábado não é explicitamente repetido no Novo Testamento, já não é obrigatório. Mas é isto verdade?

O Mandamento do Sábado não teve de ser repetido no Novo Testamento simplesmente porque o povo a quem Jesus Cristo e os apóstolos pregavam jamais imaginariam que ele tivesse de ser repetido.

As Escrituras que mais tarde vieram a ser chamadas o Antigo Testamento eram a Bíblia deles, o guia de como viver (Romanos 15:4). Paulo disse sobre elas:

"Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra" (2 Timóteo 3:16-17).


As sagradas Escrituras claramente mandava-os guardar o Sábado, e o povo comum aceitava isso como instrução inspirada por Deus.

Jesus Cristo e os apóstolos viveram e ensinaram numa sociedade guardadora do Sábado. Os confrontos de Jesus com os Fariseus foram sobre como observar o Sábado, nunca sobre se ele devia ser observado.

Quando os apóstolos levaram a mensagem para além fronteiras da Judéia, a observância do Sábado era bem conhecida em outras partes do império Romano. Notem, por exemplo, o que o historiador Judeu cristianizado Flávio Josefo, durante o tempo da Igreja do Novo Testamento, escreveu,

"... A grande quantidade da humanidade teve uma grande inclinação por muito tempo para seguir as nossas observâncias religiosas; porque não há cidade de Gregos, nem de bárbaros, nem de qualquer outra nação, onde o nosso costume de descansar no sétimo dia não tivesse chegado . . . Tal como o próprio Deus atravessa todo o mundo, igualmente a nossa lei também passou através de todo mundo" (Against Apion [Contra Apion], Livro 2, capítulo 40).

Os exemplos de Jesus e dos apóstolos confirmam que eles criam e obedeciam todos os Dez Mandamentos. Através do livro dos Atos dos Apóstolos-escrito por Lucas, um gentio-o Sábado e os Sábados anuais descritos em Levítico 23 são mencionados rotineiramente (Atos 13:14, 42, 44; 16:13; 17:2; 18:4, 21; 20:6, 16; 27:9). Se deviam guardar os Sábados ou não, era questão que nem se imaginava.

___________________

Considerações das referências do 4º mandamento no Novo Testamento.

'Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno nem no sábado. - Mt 24:20''

Nesta passagem Jesus profetiza sobre a invasão que Jerusalém sofreria décadas após Sua ressurreição. Jesus sabia que se esta invasão ocorresse no sábado, pegariam todos desprevenidos para uma fuga imediata pois os cristãos estariam em suas casas repousando.

Esta não seria uma excelente oportunidade para Cristo por fim ao mandamento do sábado? Pois se a invasão caísse num sábado, seria uma situação potencialmente trágica.

Porém não houve nenhuma recomendação da parte de Cristo contrária a guarda do sábado.


"é lícito fazer o bem no sábado. - Mt 12:12"


Jesus Cristo não somente guardou como ensinou correta guarda do sábado, conforme Mateus 12:12.

"Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito, nos sábados, fazer o bem."


Não existe proibição nenhuma no 4º mandamento de se fazer o bem ou prestar socorro à alguma pessoa ou animal.

Quem ensina a forma lícita de se praticar algo não está abolindo a prática, mas confirmando a prática.

LÍCITO - De conformidade com a lei.

Vejamos outros grandes exemplos de que para um mandamento ser válido, ele obrigatoriamente não precisa estar explícito no Novo Testamento:

A perplexidade que confronta aqueles que apresentam a teoria do restabelecimento vai ainda além. Eles não são capazes de encontrar no novo testamento um restabelecimento de diversas proibições ditadas antes de Cristo que sabemos ser pecado.

Profanar o santo nome de Deus: Este é o terceiro mandamento do decálogo que juntamente com o mandamento do sábado, foi escrito pelo próprio Deus em Êxodo 20.


Zoofilia: Levítico 18:23.

"Não tenha relações sexuais com um animal, contaminando-se com ele. Mulher nenhuma se porá diante de um animal para ajuntar-se com ele; é depravação."


Incesto: Levítico 18:6-18.

Maldito quem se deitar com a sua irmã, filha do seu pai ou da sua mãe. Todo o povo dirá: Amém.


Tatuagens: Levítico 19:28.

Não façam cortes em seus corpos por causa dos mortos, nem tatuagem em si mesmos. Eu sou o Senhor.


Leis de pureza da mulher: Levítico: 15:19.

Mas a mulher, quando tiver fluxo, e o fluxo na sua carne for sangue, ficará na sua impureza por sete dias, e qualquer que nela tocar será imundo até a tarde.


Consulta aos mortos: Deuteronômio 18:9-14.

Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou dedique-se à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium ou espírita ou que consulte os mortos.


Maltrato aos animais: Êxodo 23:5 / Deuteronômio 12:23 / Levítico 19:19 / Deuteronômio 22:10 e 25:4.

Entre outros...

Estes são mandamentos que estão no antigo testamento e não foram reordenados no novo testamento. Mas não por isso, que os consideramos que foram abolidos na cruz. Eis mais uma irrefutável prova de que para um ou mais mandamentos continuarem a serem válidos, não necessitam estarem reordenados na nova aliança.

Não podemos nos esquecer de que "evangelho" significa "boas novas". E que umas dessas boas novas foram a descontinuidade da necessidade da circuncisão e de sacrifícios pelos pecados pois ambas foram satisfeitas pelo sacrifício de cristo. E tanto uma quanto outra, que se tratavam de "ordenanças da carne", causaram grande alvoroço e perseguição aos apóstolos ao pregarem sua abolição.

Faça os downloads do estudo