Os apóstolos guardavam o domingo ?


Está escrito que os apóstolos partiram o pão e recolheram ofertas no primeiro dia da semana. Existe entre muitos o entendimento de que tais procedimentos sinalizavam que o domingo era o novo dia santo

OS APÓSTOLOS SANTIFICAVAM O DOMINGO?


"E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite". - Atos 20:7

"No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar." - 1 Coríntios 16:2



ESTARIAM OS APÓSTOLOS COM ESTAS ORDENANÇAS, SANTIFICANDO O PRIMEIRO DIA DA SEMANA?

Não é estranho que uma prática tão revolucionária como a guarda de um novo dia santo semanal por cristão judeus e gentios, e assim, o abandono do sábado, não tivesse sido assunto de intensa e repetida discussão e ensinamentos nos escritos dos apóstolos?


Quando eles disseram que a circuncisão não era mais necessária, houve um verdadeiro "furacão". O vento desta controvérsia sopra fortemente ao longo das páginas do novo testamento. Porém, somos repelidos a crer que os apóstolos disseram aos cristãos conversos que o sábado não precisava mais ser guardado e não ocorreu nenhum "sopro" de discussão, pois os judeus eram extremamente zelosos pelo mandamento do sábado.



❖ Sobre o ato de partir o pão em um dia

Examinemos primeiro a passagem de Atos 2:46 a respeito do partir do pão:


✎ "Diariamente, permaneciam unânimes no templo, partiam o pão de casa em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos." - Atos 2:46,47


Vemos nesse relato que o pão era partido diariamente nas casas e se esse ato santificasse algum dia, o domingo não seria diferente dos demais.

Analisando o texto de Atos 20:7, vemos que é parte de uma narrativa corrente descrevendo vários incidentes da viagem de Paulo de volta para Jerusalém, no final da sua terceira viagem missionária.

Se um serviço de comunhão está implícito pelo "partir o pão" em Atos 20:7, não prova nada distintivo para este dia específico, porque os discípulos partiam o pão diariamente.


Note que nenhum título sagrado é usado para esse dia. É simplesmente chamado de "o primeiro dia da semana". Portanto, em que devemos basear um argumento para a santidade do domingo? Simplesmente no fato de que uma reunião religiosa foi realizada nesse dia?

O argumento em prol do domingo que supostamente se baseia em Atos 20:7 revela-se em sua verdadeira fraqueza. Quando lemos todo o relato da viagem, descobrimos que Paulo pregou em vários lugares ao longo do caminho enquanto viajava para Jerusalém. Foram todos esses sermões programados para cair no domingo? Não.


Veja a última metade do capítulo 20, que apresenta um sumário do que foi talvez um dos mais importantes sermões que Paulo pregou nessa viagem - pelo menos, é o único descrito em detalhes. Um exame do contexto, especialmente o verso 15, indicaria que ele foi provavelmente pregado numa quarta-feira, certamente não em um domingo. Por isso concluiremos que a quarta-feira é um dia santo?



Faça os downloads do estudo