A Eutanásia é pecado?


A eutanásia é uma prática pecaminosa aos olhos de Deus?

A eutanásia é pecado?


Eutanásia (do grego ευθανασία - ευ "bom", θάνατος "morte") é a prática pela qual se abrevia a vida de um enfermo incurável de maneira controlada e assistida por um especialista.


Independentemente da forma de eutanásia praticada, seja ela legalizada ou não (tanto em Portugal como no Brasil, esta prática é considerada ilegal), ela é considerada um assunto controverso, existindo sempre prós e contras - teorias eventualmente mutáveis com o tempo e a evolução da sociedade, tendo sempre em conta o valor de uma vida humana.

Sendo eutanásia um conceito muito vasto, tem-se os vários tipos e valores intrinsecamente associados: eutanásia, distanásia, ortotanásia, a própria morte e a dignidade humana. Saiba mais.


UM CRISTÃO PODE PRATICAR A EUTANÁSIA?

Muitos levantam o questionamento de que se de fato não seria a eutanásia uma melhor saída para uma pessoa que se encontra enferma a ponto de estar desenganada pela medicina, às vezes já em estado terminal. Onde não só ela está sofrendo essa alarmante agonia mas sim também toda a sua família e amigos.

Na verdade esta é uma questão ética nada fácil de se resolver. Porém a bíblia nos dá princípios que poderão nos dar um direcionamento de como melhor agir nessa situação; nos mostrando de que Deus não é a favor do suicídio seja em qualquer circunstância.


Vamos iniciar logicamente pelo mandamento tão conhecido de "não matarás" de Êxodo 20:13; onde o ato de tirarmos a vida configura-se como uma transgressão.

A vida foi a maior criação de Deus e esta obra não cabe à nós decidirmos quando findar. O profeta Elias em um momento de desespero e angústia, pediu a morte à Deus.

''Elias teve medo e fugiu para salvar a vida. Em Berseba de Judá ele deixou o seu servo e entrou no deserto, caminhando um dia. Chegou a um pé de giesta, sentou-se debaixo dele e orou pedindo a morte. "Já tive o bastante, Senhor. Tira a minha vida, não sou melhor do que os meus antepassados" (1 Reis 19:3-4)"


Elias foi um grande homem de Deus, muito usado pelo Espírito Santo, mas nós vimos acima que em algum momento de sua jornada, ele orou pedindo a morte. Ele não cometeu suicídio pois sabia que tal ato não é do agrado de Deus e sim, clamou para que Aquele que criou a vida, a tirasse dele.

É dificil entender como alguém de relacionamento tão íntimo com Deus, cheio do Espírito Santo, chegue a tal situação. Elias, não foi o primeiro, e não será o único. Por todos os dias, desfrutamos de misericórdia e fidelidade Divina, porém, quando as tribulações nos chegam, a falibilidade humana, tende a esquecer a infalibilidade de Deus.

Elias, estava desanimado, angustiado e cheio de dúvidas: Ameaçado de morte, foge da terrível Jezabel e refugia-se no deserto, embaixo de um pé de zimbro, pedindo a morte.

Ele preferia ser morto por Deus, a ser entregue a uma ímpia . Elias, havia presenciado a morte, de muitos profetas, não esperava, contudo, que sua vez chegaria.

Porém como Deus não se agrada da morte de ninguém, Ele não atendeu o pedido de Elias.

Depois se deitou debaixo da árvore e dormiu. De repente um anjo tocou nele e disse: "Levante-se e coma". Elias olhou ao redor e ali, junto à sua cabeça, havia um pão assado sobre brasas quentes e um jarro de água. Ele comeu, bebeu e deitou-se de novo. O anjo do Senhor voltou, tocou nele e disse: "Levante-se e coma, pois a sua viagem será muito longa". - 1 Reis 19:5-7


A história de Elias, teve um final feliz. Ele venceu em vida, até ser arrebatado aos céus. Seus inimigos, tiveram um fim trágico. Elias, com todas as suas falhas, foi agradável a Deus.

Conosco, não é diferente. Deus nos ama. Mais do que nossa finita mente possa alcançar. Ele, não quer que desistamos, mas que nos refugiemos Nele. Ele que decreta a hora de nossa partida desse mundo e não nós.

Que as lições de Elias "homem sujeito ás mesmas paixões e fraquezas que nós (Tg 5:17), fale, profundamente aos nossos corações.