Deus não está morto

Grupos ateus insistem em tentar provar de que Deus não existe e que toda a obra de criação não passa de uma obra do acaso.

PROVANDO A EXISTÊNCIA DE DEUS DENTRO E FORA DA BÍBLIA

Desde quando se há registros históricos da humanidade nota-se a necessidade dos homens em crer na existência de um Deus. Os ateus esperavam que com os avanços da ciência, a crença em um ser espiritual ou como eles chamam, "imaginário", sofreria um grande declínio até desaparecer por completo. Pois acreditavam que as descobertas poderiam explicar o surgimento do universo e de tudo o que nele há. E assim retirar a autoria da criação das mãos de Deus.


Porém o que aconteceu foi o contrário. A cada avanço nas descobertas seja na área física ou química, mais e mais as evidências apontam para a extrema necessidade de existir um ser de super intelecto.

Das mais antigas da humanidade é a discussão sobre a existência de Deus. "Afinal, Deus existe?" - é o que muitos querem saber. As respostas costumam ser "sim", "não" ou ainda um "não sei". Elas dependem de um tipo de conhecimento e, como sabemos, há muitas formas de conhecer. A prática e a teórica são as mais divulgadas.

Muitos são os livros que procuram, de forma teórica, provar que Deus existe. Outros, com o mesmo método, tentam convencer as pessoas do contrário. Mais recentemente está na moda dizer que "não é possível saber". A pergunta importante é se faz alguma diferença o tato de Deus existir. Para o insensato, diz a Bíblia, "Deus não existe" (Salmo 14.1; 53.1).


No século 17, o físico, matemático e filósofo francês, Blaise Pascal, propôs uma questão que ficou conhecida como "A aposta de Pascal" ou se Deus pode ou não ser conhecido. Ele dizia que há na vida duas coisas muito importantes que são a verdade e o bem. Em suas escolhas você pode ficar com as duas ou perdê-Ias, mas também pode talvez aparentemente, ficar com uma só delas. Em cada escolha, segundo Pascal, você está colocando em risco: a sua razão e a sua vontade; o seu conhecimento e a sua felicidade. Pela nossa Própria natureza, queremos evitar tanto o erro quanto a infelicidade. Tanto uma quanto outra das opções de acreditar que Deus existe ou não, podem ser justificadas racionalmente, porém, e quanto à felicidade? Dizia Pascal que se você apostar que Deus existe e "ganhar, leva tudo, mas se perder, não precisa abrir mão de nada", por isso, dizia: "Não vacile, [...] mas faça uma aposta na opção que Ele existe".

Por mais que seja importante a questão proposta por Pascal, não é simplesmente através de meios teóricos que se "conhece" a Deus. É possível conhecer teoricamente "sobre" Deus, mas para se conhecer realmente a Deus precisamos de uma experiência. O Pai, disse Jesus, procura os verdadeiros adoradores, adoradores que o adore em espírito e em verdade (João 4.23). É algo que deve ocorrer de forma experimental, por cada pessoa, individualmente. A Bíblia diz que Deus não quer que ninguém se perca, mas que todos cheguem ao conhecimento da verdade (2 Pedro 3.9).

A seguir, veremos alguns exemplos que nos farão a crer na necessidade de um arquiteto, um matemático, um físico, um químico... um Deus.




EVIDÊNCIAS COSMOLÓGICA E TELEOLÓGICAS

Das galáxias e estrelas até os átomos e partículas sub-atômicas, a própria estrutura do universo é determinada por equações denominadas "constantes e quantidades".

Os cientistas chegaram à conclusão que cada uma dessas equações foram minuciosamente calculadas e planejadas em valores e resultados surpreendentemente precisos. Valores e resultados que se encaixam em uma precisão muitíssimo estreita que permite a vida.


Se qualquer um desses números equacionais fosse alterado, nenhuma vida física Interativa de qualquer tipo ou espécie poderia existir. Não seria possível existir estrelas, planetas e nenhum elemento químico no universo.



EVIDÊNCIAS BIOLÓGICAS 

A seguir veremos as condições necessárias para um planeta sustentar a vida.

  • Atmosfera rica em oxigênio

  • Água líquida

  • Vasta extensão de terra seca

  • Orbitar uma estrela com massa e temperatura exata

  • Percorrer um caminho orbital nem muito longe e nem muito próximo desta estrela

  • Ter uma lua grande o suficiente para estabilizar a inclinação do eixo do planeta e o movimento de suas marés

  • Ter um campo magnético forte o suficiente para desviar a radiação solar

  • Habitarmos em uma região relativamente "calma" de nossa galáxia (que consiste em uma área bem restrita existente)



Todas essas condições essenciais precisam ser atendidas simultaneamente e constantemente para existência de vida. 

Para aqueles que não se esforçam propositalmente para crer na inexistência de um Criador, a ideia de que todo o equilíbrio, sincronia biológica e cósmica que são imprescindíveis para a criação e manutenção da vida, serem provenientes simplesmente do acaso, de uma sucessão de "eventos acidentais" é absurdamente ilógica.


Fisicamente e quimicamente não há nenhuma possibilidade de aceitar a teoria de que formas de vida ligadas e dependentes de outros fatores que são também dependentes de outros, formando uma imensa cadeia de equilíbrio existencial; sejam meramente criadas do nada.


Pois para um elemento, um ser, poder se manter; depende sumariamente da existência de outro o sustentando. E sendo assim, esta série de eventos deveriam ocorrer "acidentalmente" praticamente de forma simultânea. O que até mesmo na visão evolucionista é impossível pois tais processos poderiam levar até milhões de anos para serem concluídos.


Resumindo; é impossível crermos que a forma de vida que conhecemos hoje independendo de sua espécie, ter sobrevivido em um mundo evolutivo e não criado por um Super-intelecto da forma e momentos exatos.


VIDA CELULAR - A unidade básica da vida

Durante décadas tecnologias espetaculares revolucionaram a compreensão científica da célula.

Células são complicadas máquinas moleculares.

A célula chamada eucariótica por exemplo, tem o décimo do tamanho de uma cabeça de alfinete. E nesta simples célula, há cerca de 3 bilhões de unidades de DNA compondo os cromossomos, e estes bilhões de unidades engrenam as máquinas moleculares da célula.


São verdadeiramente uma obra-prima da engenharia e da nanotecnologia. Essenciais para as funções vitais de todos os seres vivos.


OS CROMOSSOMOS

Os cromossomos são constituídos por uma longa fita dupla de DNA.

Possui funções específicas nas células dos seres vivos e define desde a cor dos olhos, cabelos, pele, altura, timbre de voz, características de personalidades e até a textura da cera do ouvido.

O ser humano possui 46 cromossomos, onde recebemos 23 de nossa mãe e 23 de nosso pai.

Em apenas um cromossomo humano há cerca de 5 bilhões de nucleotídeos. Cada nucleotídeo tem aproximadamente 0,3 nanômetros de tamanho ou seja 0,000003 milímetros.

Cada nucleotídeo contém dentro dele as bases adenina, citosina, guanina e timina. Então temos já 20 bilhões de unidades de informação.


O DNA - Uma fantástica cadeia de informações

O DNA é o mais eficiente complexo sistema de armazenagem e processamento de informações de todo universo. Tais informações estão inseridas nos núcleos das células vivas.

A linguagem da informação de um DNA é a mais complexa do que qualquer outra já criada.

É essencial que haja uma sequência exata de moléculas de proteínas para que no sistema biológico possa executar todas as informações para construir as proteínas e máquinas protéicas necessárias para célula manter sua função.


Muitos tentam explicar a origem das informações a partir das leis da física e da química meramente pela seleção natural (obra do acaso).

Ilustrando como exemplo as as notícias de um jornal, com base na física e na química, podemos explicar a coloração da tinta e do papel e como a tinta adere ao papel, porém não explicamos pela "seleção natural" como esta tinta foi ordenada a ponto de transmitir as informações em uma linguagem que possa ser compreendida no idioma do leitor.