Alma, Corpo e Espírito


Neste estudo, vamos conhecer o que verdadeiramente nos ensinam as escrituras sagradas sobre o que é a alma, o corpo e nosso espírito.

O QUE SÃO ALMA, CORPO E ESPÍRITO?


Atualmente vemos uma crescente crença, doutrina e especulações sobre o que nos ocorre após nossa morte.

Como já conhecemos, a doutrina espírita prega que após a morte ("desencarnação"), um ser consciente sai do seu corpo físico e toma seu destino já traçado conforme suas obras em vida.

Tal equivocado entendimento se deu em razão da anulação da validade do antigo testamento como doutrina válida pela igreja católica. Ficando sem estrutura de base doutrinária, o novo testamento deixa brechas para errôneos compreendimentos e em consequência, base para doutrinas heréticas que vão em conflito às leis de Deus.

Passagens como a parábola do rico e Lázaro (Lucas 16:19-31), a visão profética dos mortos de Apocalipse 20:12-15 e outras, quando não têm como sua base doutrinária os ensinamentos de Deus contidos nas escrituras do antigo testamento, ficam totalmente a deriva, disponíveis para qualquer tipo de interpretação.


Iremos neste estudo, examinar com profundidade os ensinamentos da sã doutrina de Deus sobre este assunto.



O QUE É O CORPO?

"E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra..." - Gênesis 2:7


A princípio tal alegação pode parecer irracional, partida de pessoas antigas e iletradas; que não tinham o conhecimento científico que a humanidade possui nos tempos atuais. Mas vamos analisar á luz da ciência, a composição do corpo humano:

Nosso corpo é composto por no mínimo, 60 elementos químicos diferentes e suas finalidades não são muito conhecidas. Saberemos agora, mais sobre a composição química do nosso organismo e conheceremos os 12 elementos químicos do corpo humano de maior abundância.


Composição química do corpo humano

Conhecer os elementos químicos que compõe o corpo humano é algo fundamental para compreender seus mecanismos fisiológicos e a sua origem.



Na Bíblia, podemos aprender que Deus criou todas as formas de vida − plantas, aves, peixes, animais terrestres e o ser humano - literalmente através do barro. Em Gênesis 2:7, vemos que "o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida". Já em Gênesis 2:19 é dito que "formou da terra todos os animais do campo e todas as aves do céu".


Seria possível que o barro contivesse os elementos essenciais para o ato da criação? O químico Dr. Edwin Emery Slosson (1865-1929) ficou fascinado ao constatar a coerência da afirmação bíblica ao encontrar uma precisão química entre os elementos presentes no barro e no corpo humano: "No pó da terra há dezesseis elementos químicos diferentes, e no corpo humano há esses mesmos dezesseis elementos químicos." Slosson fez essa afirmação, destacando que havia ainda outros elementos a serem descobertos e que apesar de seus esforços, ainda não havia conseguido identificá-los.

Décadas mais tarde, o biólogo terrestre Dr. Kevin Lee Griffin, em um de seus artigos intitulado "A composição elementar da vida", classificou 26 elementos químicos do solo que também estão presentes (em quantidade variável) na composição do corpo humano. Portanto, conforme afirma o rabino Tzvi Freeman: "Evolução e Gênesis ambos concordam que o homem começou como um punhado de barro. A evolução diz que se você deixar barro suficiente por tempo suficiente, aquilo terminará se tornando um ser humano que vai construir computadores e naves espaciais. O Gênesis diz que você precisa de uma força inteligente para que isso aconteça."

Em 2003, uma pesquisa publicada na revista Science sugeriu que, tal como é relatado na Bíblia, a vida na Terra possivelmente tenha surgido do barro.[4] Cientistas afirmaram ter conseguido reunir elementos do barro que são fundamentais no processo inicial de formação biológica. Entre eles, uma substância chamada "montmorillonite" que participa da formação de depósitos gordurosos e ajuda as células a compor o material genético chamado RNA (ácido ribonucléico), indispensável para a origem da vida.

Segundo os cientistas, a argila ou o barro podem ser catalizadores das reações químicas para a criação do RNA a partir dos nucleotídeos. Também descobriram que a argila acelera o processo de criação de ácidos graxos nas vesículas, elementos essenciais para a síntese de RNA. Para os pesquisadores, "a formação, crescimento e divisão das primeiras células pode haver ocorrido como resposta a reações similares de partículas minerais e agregados de material e energia"

Em 2013, outro estudo indicou que alguns tipos de argilas (barro) facilitaram a geração espontânea de vida (moléculas orgânicas) da matéria inanimada há [supostos] milhões de anos.[6] A argila contém uma série de minerais, tais como alumínio, silício e oxigênio, e sua composição forma uma substância chamada "hidrogel". Esse polímero facilitaria a síntese de proteínas, DNA e demais componentes que tornam uma célula viva. Nos testes em laboratório, esses hidrogéis de argila apresentaram uma função de confinamento (lugar seguro e protegido) para biomoléculas e reações químicas, pois essas moléculas orgânicas tendem a aderir à superfície da argila, evitando sua degradação por enzimas "nucleases" (consideradas prejudiciais). Diante disso, uma questão pertinente levantada pelo jornalista Michelson Borges é: "De onde veio esse barro?"

Como podemos ver, a ciência nos diz que é possível a vida ter se originado do barro. Porém, não pode nos dizer como isso aconteceu. Embora pessoas estudem a origem da vida e do Universo, ainda há muitas coisas que não serão reveladas.

Mas em relação a essa, a revelação já nos foi dada (embora seja ignorada) e pode ser encontrada em Jeremias 27:5: "Eu fiz a terra, o homem e os animais que estão sobre a face da terra, com o Meu grande poder, e com o Meu braço estendido, e a dou a quem é reto aos Meus Olhos."


O QUE É O ESPÍRITO?

"Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida..." - Gênesis 2:7

Uma outra situação que é grandemente mal compreendida é sobre o fôlego de vida de Deus, ou espírito; que é a energia vital que é nos dada para que nosso corpo ganhe a vida.

Foi tal equívoco que se tornou o "carro-chefe" da doutrina espírita que vai além dos centros espíritas; pois até mesmo no meio evangélico há tal crença de que, dentro de nosso corpo físico, há um "ser espiritual consciente" que após nossa morte, se desprende do corpo.

Crença esta, bastante difundida entre os babilônios, Egípcios, e Assírios antigos; está é a razão porque Allan Kardec é chamado de o "Codificador" do espiritismo; ele apenas deu forma e doutrina a uma antiga religião, que ganhou força nas últimas décadas após o protestantismo, que "popularizou" a bíblia; a qual era praticamente exclusividade da igreja católica.

Vamos agora analisar sobre o fôlego de vida

"O destino do homem é o mesmo do animal; o mesmo destino os aguarda. Assim como morre um, também morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego de vida; o homem não tem vantagem alguma sobre o animal" - Eclesiastes 3:19

Em Gênesis 2:7 são revelados os dois elementos usados na formação do homem: "pó da terra" e "fôlego de vida". A expressão "fôlego de vida" presente neste verso origina-se do substantivo hebraico "nshamah", que significa: respiração (impulso, estímulo de vida); inspiração.

Adão ao ser formado tinha todos os tecidos e órgãos estruturados, porém, destituídos de ação; eram inertes devido a ausência de vitalidade. Então, Deus concedeu àquele corpo inanimado proveniente do "pó da terra" ("és pó", Gênesis 3:19), a força vital necessária para que as suas funções orgânicas passassem a atuar; e essa força é chamada de "fôlego de vida".

Quando o corpo perde definitivamente a sua capacidade homeostática, o "fôlego" (princípio vitalizador do corpo) não tem como agir e a vida cessa. Isso pode ser comparado a uma lâmpada que, ao perder a sua integridade física, impede que a energia elétrica atue proporcionando luz.


Adiante alguns textos que auxiliam nesta questão:

1) "Algum tempo depois o filho da mulher, dona da casa, ficou doente, foi piorando e finalmente parou de respirar [nshamah]." (I Reis 17:17 NVI).

2) "Enquanto eu tiver vida em mim, o sopro [nshamah] de Deus em minhas narinas." (Jó 27:3 NVI).

3) "O Espírito de Deus me fez, e o sopro [nshamah] do Todo-Poderoso me dá vida." (Jó 33:4 RA).

4) "Parem de confiar no homem, cuja vida não passa de um sopro [nshamah] em suas narinas. Que valor ele tem?" (Isaías 2:22 NVI).

5) "Se Deus pensasse apenas em Si mesmo e para Si recolhesse o Seu Espírito e o Seu sopro [nshamah], toda a carne juntamente expiraria, e o homem voltaria para o pó." (Jó 34:14-15 RA).


Outros termos utilizados para especificar o "fôlego" (sopro ou alento) de vida concedido por Deus às Suas criaturas são "ruwach"  e "pneuma":

1) "De toda carne, em que havia fôlego [ruwach] de vida, entraram de dois em dois para Noé na arca." (Gênesis 7:15 RA).

2) "Em Sua mão está a vida de cada criatura e o fôlego [ruwach] de toda a humanidade." (Jó 12:10 NVI).

3) (...) quando lhes retiras o fôlego [ruwach], morrem e voltam ao pó." (Salmos 104:29 NVI).

4) "Quem sabe se o fôlego [ruwach] do homem sobe para o alto e se o fôlego [ruwach] do animal desce para baixo, para a terra?" (Eclesiastes 3:21 BJ).

5) "Com efeito, como o corpo sem o sopro [pneuma] da vida é morto, assim também é morta a fé sem obras." (Tiago 2:26 BJ).

6) "Contudo, depois dos três dias e meio, um sopro [pneuma] de vida, vindo de Deus, penetrou-os, e eles se puseram em pé. (...)" (Apocalipse 11:11 BJ).


Em posse dessas informações que esclarecem o que é "fôlego de vida" e sua finalidade, a própria Bíblia apresenta as respostas para as questões levantadas no início deste estudo ao declarar que o "fôlego" concedido ao ser humano é idêntico ao dos outros seres vivos:

1) "Morreu tudo o que tinha um sopro [nshamah] de vida nas narinas. Isto é, tudo o que estava em terra firme." (Gênesis 7:22 BJ).

2) "Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego [ruwach] de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade." (Eclesiastes 3:19 RA cf. Isaías 42:5).

Portanto, o "fôlego" não é a parte racional (os pensamentos - um "sopro cognitivo"), e tampouco seria uma entidade consciente e independente que desloca-se rumo ao Céu após a morte do corpo. Pois, se assim fosse, todas as criaturas possuiriam raciocínio semelhante ao homem, ou, teriam a fictícia entidade sobrenatural (a popular "alma") alojada no corpo. Além disso, o que difere a racionalidade humana dos demais seres vivos é a estrutura cerebral, cuja as funcionalidades são ativadas pelo "fôlego de vida", a vitalidade proveniente do Criador e Mantenedor de todas as coisas (Isaías 44:24; Isaías 45:18).


O QUE É A ALMA ?

"Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente." (Gênesis 2:7 ).


Alma: conceito bíblico

O ser humano foi formado de dois elementos básicos: "pó da terra" (matéria prima utilizada para estruturar o corpo) e "fôlego de vida" (vitalidade proveniente de Deus que retirou o corpo de seu estado inanimado).


Assim, "alma vivente" é o resultado da associação entre "pó da terra" e "fôlego de vida". Outras referências bíblicas reforçam este princípio:

1) "O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida." (Jó 33:4 RA).

2) "(...) quando lhes retiras o fôlego, morrem e voltam ao pó." (Salmos 104:29 NVI).

3) "Parem de confiar no homem, cuja vida não passa de um sopro em suas narinas. Que valor ele tem?" (Isaías 2:22 NVI).


Biblicamente, "alma" não é algo invisível que habita o interior do homem e retira-se quando ele morre. "Alma" refere-se ao próprio indivíduo. Ao ser criado, o homem passou a "ser alma vivente", ele "foi feito alma vivente" (Gênesis 2:7; I Coríntios 15:45), e não a ter uma "alma" vivendo dentro de si.

Deus não formou nenhuma entidade sobrenatural destinada a viver no corpo do homem, em parte alguma das Escrituras isso é demonstrado.

Acrescenta-se ainda o fato de que o ser humano não é o único a ser caracterizado como "alma vivente" ( "pó da terra" + "fôlego de vida" ), outras espécies de seres vivos são classificadas da mesma forma.


A expressão "alma vivente" (ou "ser vivente"), originada do hebraico "nephesh" (no Velho Testamento) e do grego "psyche" (no Novo Testamento), refere-se a cada "criatura ativa", única e indivisível:

1) "Deus disse: 'Que a terra produza seres vivos [nephesh] segundo sua espécie'. (...)" (Gênesis 1:24 BJ).

2) "(...) o homem passou a ser alma vivente [nephesh]." (Gênesis 2:7 RA)

3) "(...) todos os seres vivos [nephesh] de todas as espécies que vivem na terra." (Gênesis 9:16 NVI).

4) "(...) de toda alma vivente [nephesh] que se move nas águas, e de toda criatura [nephesh] que povoa a terra." (Levítico 11:46 RA).

5) "(...) o primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente [psyche zao]. (...)" (I Coríntios 15:45 BJ).

6) "(...) e morreu todo ser vivente [psyche zao] que havia no mar." (Apocalipse 16:3 RA).


Os termos "nephesh" e "psyche" (de onde se traduz a palavra "alma") são utilizados com vários significados na Bíblia, e nenhum deles apresenta a ideia de uma entidade extra corpórea (algo sobre-humano) convivendo temporariamente em algum corpo. Adiante alguns exemplos:


As palavras nephesh e psyche designando "vida":

1) "(...) 'Vi a Deus face a face, e a minha vida [nephesh] foi salva'." (Gênesis 32:30 RA).

2) "Agora, vou dar-lhe um conselho para salvar a sua vida [nephesh] e também a vida [nephesh] do seu filho Salomão." (I Reis 1:12 NVI).

3) "Quem quiser, pois, salvar a sua vida [psyche] perdê-la-á; e quem perder a vida [psyche] por causa de Mim e do evangelho salvá-la-á." (Marcos 8:35 RA).

4) "(...) Vi também as vidas [psyche] daqueles que foram decapitados por causa do Testemunho de Jesus e da Palavra de Deus (...)" (Apocalipse 20:4 BJ).


As palavras nephesh e psyche indicando "indivíduos", "pessoas":

1) "São estes os filhos de Raquel, que nasceram a Jacó, ao todo catorze pessoas [nephesh]." (Gênesis 46:22 RA).

2) "Os descendentes [nephesh] de Jacó eram, ao todo, setenta pessoas [nephesh]. (...)" (Êxodo 1:5 BJ).

3) "Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas [psyche]." (Atos 2:41 NVI).

4) "(...) Nela apenas algumas pessoas [psyche], a saber, oito, foram salvas por meio da água." (I Pedro 3:20 NVI).


As palavras nephesh e psyche referindo-se ao "coração" (sentimento; âmago de algo):

1) "Mas seu coração [nephesh] inclinou-se por Dina, filha de Jacó (...)" (Gênesis 34:3 BJ).

2) "Quanto a você, eu o farei reinar sobre tudo o que o seu coração [nephesh] desejar; você será rei de Israel." (I Reis 11:37 NVI).

3) "(...) fazendo de coração [psyche] a vontade de Deus." (Efésios 6:6 NVI).

4) "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração [psyche], como para o Senhor e não para homens." (Colossenses 3:23 RA).


As palavras nephesh e psyche usadas como "pronome pessoal" e "pronome possessivo":

1) "Eis que serão como restolho, o fogo os queimará; não poderão livrar-se [nephesh] do poder das chamas. (...)" (Isaías 47:14 RA).

2) "O Senhor dos Exércitos jurou por Si [nephesh] mesmo (...)" (Jeremias 51:14 NVI).

3) "E direi a mim [psyche] mesmo: 'Você tem grande quantidade de bens (...)'." (Lucas 12:19 NVI).

4) "Quanto a mim, de bom grado despenderei, e me despenderei todo inteiro, em vosso [psyche] favor. (...)" (II Coríntios 12:15 BJ).


A palavra nephesh expressando "apetite", "vontade":

1) "Mas agora perdemos o apetite [nephesh]; nunca vemos nada, a não ser este maná." (Números 11:6 NVI).

2) "(...) por desejares [nephesh] comer carne (...) então, segundo o teu desejo [nephesh], comerás carne." (Deuteronômio 12:20 RA).

3) "Todo trabalho do homem é para sua boca e, no entanto, seu apetite [nephesh] nunca está satisfeito." (Eclesiastes 6:7 BJ).


A palavra psyche manifestando "expectativa", "ansiedade":

1) "(...) Até quando nos deixarás a mente em suspense [psyche]? Se tu és o Cristo, dize-o francamente." (João 10:24 RA).


A palavra psyche referindo-se a "mente", "raciocínio":

1) "Mas os judeus que continuaram incrédulos incitaram e indispuseram os ânimos [psyche] dos gentios contra os irmãos." (Atos 14:2 BJ).

2) "(...) e os perturbaram, transtornando a mente [psyche] de vocês com o que disseram." (Atos 15:24 NVI).


Pela compreensão bíblica exposta nos exemplos acima, nota-se a inexistência de uma "alma" convivendo no homem; nenhuma referência escriturística transmite o ensino de que o ser humano seja composto por um "corpo" e uma "alma" independente e racional.

Ao contrário, o relato bíblico da criação, a etimologia e a análise contextual de nephesh e psyche, demonstram que o homem é uma criatura indivisível resultante da associação entre "pó da terra" e "fôlego de vida"; que ele foi feito "alma vivente".

Tanto nephesh e psyche, quanto as suas fontes de origem (naphash, psyche), possuem como significado principal o ato de "respirar". Teria a imaginária "alma" da crença pagã esta necessidade?




A ALMA NO CONCEITO BÍBLICO

O ser humano foi formado de dois elementos básicos: "pó da terra" (matéria prima utilizada para estruturar o corpo) e "fôlego de vida" (vitalidade proveniente de Deus que retirou o corpo de seu estado inanimado).

Assim, "alma vivente" é o resultado da associação entre "pó da terra" e "fôlego de vida". Outras referências bíblicas reforçam este princípio:


1) "O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida." (Jó 33:4 RA).

2) "(...) quando lhes retiras o fôlego, morrem e voltam ao pó." (Salmos 104:29 NVI).


3) "Parem de confiar no homem, cuja vida não passa de um sopro em suas narinas. Que valor ele tem?" (Isaías 2:22 NVI).


Biblicamente, "alma" não é algo invisível que habita o interior do homem e retira-se quando ele morre. "Alma" refere-se ao próprio indivíduo. Ao ser criado, o homem passou a "ser alma vivente", ele "foi feito alma vivente" (Gênesis 2:7; I Coríntios 15:45), e não a ter uma "alma" vivendo dentro de si.

Deus não formou nenhuma entidade sobrenatural destinada a viver no corpo do homem, em parte alguma das Escrituras isso é demonstrado.

Acrescenta-se ainda o fato de que o ser humano não é o único a ser caracterizado como "alma vivente" ("pó da terra" + "fôlego de vida"), outras espécies de seres vivos são classificadas da mesma forma.



A expressão "alma vivente" (ou "ser vivente"), originada do hebraico "nephesh" (no Velho Testamento) e do grego "psyche" (no Novo Testamento), refere-se a cada "criatura ativa", única e indivisível:

1) "Deus disse: 'Que a terra produza seres vivos [nephesh] segundo sua espécie'. (...)" (Gênesis 1:24 BJ).


2) "(...) o homem passou a ser alma vivente [nephesh]." (Gênesis 2:7 RA).

3) "(...) todos os seres vivos [nephesh] de todas as espécies que vivem na terra." (Gênesis 9:16 NVI).

4) "(...) de toda alma vivente [nephesh] que se move nas águas, e de toda criatura [nephesh] que povoa a terra." (Levítico 11:46 RA).

5) "(...) o primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente [psyche zao]. (...)" (I Coríntios 15:45 BJ).

6) "(...) e morreu todo ser vivente [psyche zao] que havia no mar." (Apocalipse 16:3 RA).


Os termos "nephesh" e "psyche" (de onde se traduz a palavra "alma") são utilizados com vários significados na Bíblia, e nenhum deles apresenta a ideia de uma entidade extra corpórea (algo sobre-humano) convivendo temporariamente em algum corpo.

Adiante alguns exemplos:


As palavras nephesh e psyche designando "vida":

1) "(...) 'Vi a Deus face a face, e a minha vida [nephesh] foi salva'." (Gênesis 32:30 RA).

2) "Agora, vou dar-lhe um conselho para salvar a sua vida [nephesh] e também a vida [nephesh] do seu filho Salomão." (I Reis 1:12 NVI).

3) "Quem quiser, pois, salvar a sua vida [psyche] perdê-la-á; e quem perder a vida [psyche] por causa de Mim e do evangelho salvá-la-á." (Marcos 8:35 RA).

4) "(...) Vi também as vidas [psyche] daqueles que foram decapitados por causa do Testemunho de Jesus e da Palavra de Deus (...)" (Apocalipse 20:4 BJ).


As palavras nephesh e psyche designando "vida":

1) "(...) 'Vi a Deus face a face, e a minha vida [nephesh] foi salva'." (Gênesis 32:30 RA).

2) "Agora, vou dar-lhe um conselho para salvar a sua vida [nephesh] e também a vida [nephesh] do seu filho Salomão." (I Reis 1:12 NVI).

3) "Quem quiser, pois, salvar a sua vida [psyche] perdê-la-á; e quem perder a vida [psyche] por causa de Mim e do evangelho salvá-la-á." (Marcos 8:35 RA).

4) "(...) Vi também as vidas [psyche] daqueles que foram decapitados por causa do Testemunho de Jesus e da Palavra de Deus (...)" (Apocalipse 20:4 BJ).


As palavras nephesh e psyche indicando "indivíduos", "pessoas":

1) "São estes os filhos de Raquel, que nasceram a Jacó, ao todo catorze pessoas [nephesh]." (Gênesis 46:22 RA).

2) "Os descendentes [nephesh] de Jacó eram, ao todo, setenta pessoas [nephesh]. (...)" (Êxodo 1:5 BJ).

3) "Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas [psyche]." (Atos 2:41 NVI).

4) "(...) Nela apenas algumas pessoas [psyche], a saber, oito, foram salvas por meio da água." (I Pedro 3:20 NVI).


As palavras nephesh e psyche referindo-se ao "coração" (sentimento; âmago de algo):

1) "Mas seu coração [nephesh] inclinou-se por Dina, filha de Jacó (...)" (Gênesis 34:3 BJ).

2) "Quanto a você, eu o farei reinar sobre tudo o que o seu coração [nephesh] desejar; você será rei de Israel." (I Reis 11:37 NVI).

3) "(...) fazendo de coração [psyche] a vontade de Deus." (Efésios 6:6 NVI).

4) "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração [psyche], como para o Senhor e não para homens." (Colossenses 3:23 RA).



As palavras nephesh e psyche usadas como "pronome pessoal" e "pronome possessivo":

1) "Eis que serão como restolho, o fogo os queimará; não poderão livrar-se [nephesh] do poder das chamas. (...)" (Isaías 47:14 RA).

2) "O Senhor dos Exércitos jurou por Si [nephesh] mesmo (...)" (Jeremias 51:14 NVI).

3) "E direi a mim [psyche] mesmo: 'Você tem grande quantidade de bens (...)'." (Lucas 12:19 NVI).

4) "Quanto a mim, de bom grado despenderei, e me despenderei todo inteiro, em vosso [psyche] favor. (...)" (II Coríntios 12:15 BJ).


A palavra nephesh expressando "apetite", "vontade":

1) "Mas agora perdemos o apetite [nephesh]; nunca vemos nada, a não ser este maná." (Números 11:6 NVI).

2) "(...) por desejares [nephesh] comer carne (...) então, segundo o teu desejo [nephesh], comerás carne." (Deuteronômio 12:20 RA).

3) "Todo trabalho do homem é para sua boca e, no entanto, seu apetite [nephesh] nunca está satisfeito." (Eclesiastes 6:7 BJ).



A palavra psyche manifestando "expectativa", "ansiedade": 

1) "(...) Até quando nos deixarás a mente em suspense [psyche]? Se tu és o Cristo, dize-o francamente." (João 10:24 RA).


A palavra psyche referindo-se a "mente", "raciocínio":

1) "Mas os judeus que continuaram incrédulos incitaram e indispuseram os ânimos [psyche] dos gentios contra os irmãos." (Atos 14:2 BJ).

2) "(...) e os perturbaram, transtornando a mente [psyche] de vocês com o que disseram." (Atos 15:24 NVI).


Pela compreensão bíblica exposta nos exemplos acima, nota-se a inexistência de uma "alma" convivendo no homem; nenhuma referência escriturística transmite o ensino de que o ser humano seja composto por um "corpo" e uma "alma" independente e racional.

Ao contrário, o relato bíblico da criação, a etimologia e a análise contextual de nephesh e psyche, demonstram que o homem é uma criatura indivisível resultante da associação entre "pó da terra" e "fôlego de vida"; que ele foi feito "alma vivente". Tanto nephesh e psyche, quanto as suas fontes de origem (naphash, psyche), possuem como significado principal o ato de "respirar". Teria a imaginária "alma" da crença pagã esta necessidade?



Alma: conceito pagão

O ensino de que cada ser humano contém uma "alma" autônoma habitando o corpo provisoriamente não é bíblica, mas surgiu com os antigos povos pagãos, e ganhou notoriedade com a filosofia grega, que se baseou nos conceitos egípcios.

Os egípcios acreditavam que a "alma" era composta por uma força vital chamada "ka" que permanecia próxima ao corpo após a morte, e por uma parte espiritual chamada "ba" de livre locomoção. A antiga civilização chinesa, outro exemplo entre os povos da antiguidade, desenvolveu a ideia de que a "alma" era composta de uma parte inferior que desaparecia com a morte do corpo e outra superior que mantinha-se atuante, sendo esta última a responsável pela racionalidade. Estas concepções pagãs tornaram-se posteriormente a base doutrinária de que, após a morte do ser humano, existiria uma "alma" que era encaminhada para o Céu ou para o Inferno.

O cristianismo apostatado absorveu as ideologias gregas sobre a "alma", sobretudo às de Pitágoras, Platão e Sócrates que defendiam-na como sendo algo incorpóreo (semelhante aos deuses), existindo antes do surgimento do corpo e permanecendo ativa depois de sua morte. Os primeiros filósofos cristãos adotaram este ensino com algumas adaptações, para eles a "alma" era uma entidade criada por Deus e transferida para o corpo no momento do nascimento. Entre esses filósofos tem-se Agostinho, que fortemente influenciado pelos ensinos de Platão, afirmava que a "alma" era a responsável pelas atitudes do corpo.[B] Assim, estas ficções humanas substituíram o significado bíblico de "nephesh" e "psyche".




CONCLUSÃO

A concepção de alma e espírito como sendo um ser consciente que vive em nosso corpo e se liberta após a morte não tem embasamento bíblico.